jump to navigation

US$ 800 milhões em jogos online em 2006 maio 18, 2007

Posted by inhsieh in Mundo.IN, Negócios, online.
add a comment

ArquivoChina.com:

Segundo a empresa americana de pesquisas IDC, o faturamento do mercado chinês de jogos online atingiu US$ 817,5 milhões em 2006, crescimento de 73,5% em relação a 2005. A estimativa é atingir US$ 1,28 bilhões em 2008.

[clique para mais]

Faturamento de US$ 65 milhões com instant messenger em 3 meses maio 18, 2007

Posted by inhsieh in modelo de negócios, Mundo.IN, Negócios, online.
add a comment

ArquivoChina.com:

A Tencent, empresa chinesa de instant messenger, portal e online games anunciou seu faturamento no 1o. trimestre de 2007, RMB 773.1 milhões (US$ 100 milhões), um crescimento de quase 20% com relação ao mesmo período de 2006. Esse valor está dividido assim:…

[clique para mais]

China derruba exportação de produto hi-tech do Brasil maio 17, 2007

Posted by inhsieh in Mundo.IN.
add a comment

ArquivoChina.com:

Cada vez mais se desfaz a imagem da China como um mero país de mão-de-obra barata com produtos de baixa qualidade. Enquanto aquele país vende produtos de alto valor agregado para EUA e Europa, vem a sobra do tacho dos produtos devolvidos para o Brasil, por isso a nossa percepção de mercadorias ruins. Não que os gringos só comprem coisa boa, mas é uma combinação de qualidade e preço.

Monetizando jornalismo colaborativo maio 17, 2007

Posted by inhsieh in conteúdo, modelo de negócios, monetização.
add a comment

Está rolando no radinho uma discussão proposto pela Ana Maria Brambilla sobre monetização de jornalismo colaborativo. Ela participa de um projeto baseado nesse conceito e quer saber como ganhar dinheiro com isso.

Na minha época na InvestNews (Gazeta Mercantil), lá pelos idos de 2003, tínhamos um projeto nesse sentido. Um batalhão de colaboradores escreveriam para uma central de editores que iriam aprovar e editar o material. Eles trabalhariam remotamente e seriam remunerados por matéria. Um ponto importante aqui é que a InvestNews tem sua agência de notícias e licencia o conteúdo, por isso, quantidade e qualidade são importantes.

No período do BarCampSP postei aqui um check-list de critérios que devem ser analisados quando se pensa em monetizar conteúdo. O foco era avaliar viabilidade de se cobrar assinatura. No fundo, a lista pode ser usada como primeiro passo para analisar qualquer conteúdo e a partir de então chegar à conclusão do modelo de negócio adequado.

Expandi alguns itens e detalhei outros. A idéia é que isso vire uma metodologia formal. A relação tem bastante coisa, mas não é exaustiva. Se quiser, colabore e ganhe participação nos resultados ;-) Em um próximo post falarei mais sobre como usar esse check-list.

. Tipo (notícia, informação, análise/comentário)
. Conteúdo Especializado vs Generalista
. Disponibilidade em outras fontes a menores custos (diretos e indiretos)
. Exclusividade
. Potencial de geração de receita
. Reputação dos autores
. Marca
. Ineditismo
. Velocidade entre fato e entrega
. Acuracidade
. Facilidade de acesso (aberto, cadastro, etc)
. Canais de distribuição (ex: terminais Bloomberg, web, mobile, pensamento)
. Tecnologia (ex: xml)
. Timing
. Nível de detalhamento
. Estilo
. Status

Atenção empreendedores brasileiros em tecnologia, o DFJ chegou maio 10, 2007

Posted by inhsieh in Capital Empreendedor, Negócios.
add a comment

O mercado brasileiro de venture capital está quente com novos fundos focados principalmente em energia. Grandes nomes internacionais aportam no país, como o Brasil Energy, fundo que contará com investidores estrangeiros como Vinod Khosla (fundador da Sun Microsystems), Steve Case (fundador da AOL) e James Wolfenson (ex-presidente Banco Mundial), associados a Henri Phillip Reichstul(ex-presidente da Petrobras). Outro grande nome é de John Dorr, com sucessos no currículo como ter sido um dos primeiros investidores em empresas como Compaq, Netscape, Google, Amazon, etc.

O mais recente da leva é o Draper Fisher Jurvetson (DFJ), empresa americana de capital risco que investiu em nomes como Hotmail e Skype. Atuará no Brasil em associação com o FirCapital, cuja investida Akwam foi adquirida pelo Google. Não foi apontado os setores focados, mas dado o histórico das duas empresas, é uma bela notícia para empreendedores brasileiros em tecnologia.

. Draper Fisher Jurvetson Launches Brazil-Based Affiliate (comunicado de imprensa, em inglês)

. Novo fundo vai investir 2 bilhões de dólares em etano brasileiro (Exame)

. O investidor John Doerr, da Amazon e do Google, só pensa em energia (Exame)

Inteligência Coletiva maio 9, 2007

Posted by inhsieh in Inteligência Coletiva.
comments closed

Esse post (Inteligência coletiva ou burrice das multidões ?) do Gilberto já é antigo, mas continuo pensando… será que não é melhor chamar de inteligência agregada?

Agregada no sentido de agrupada e não adicional.

O Fabio Seixas também comentou rapidamente.

eDoula – mentor de novos projetos/profissionais de internet abril 4, 2007

Posted by inhsieh in Carreira, edoula, empreendedorismo.
3 comments

O Renê de Paula Jr, master agregador de profissionais de internet e comunicação com a lista de discussão radinho, comentou em seu mais recente podcast sobre a doula. Inicialmente achei que fosse uma parteira, mas depois entendi (e li) que se trata de uma pessoa que dá apoio moral e, principalmente, experiência. Para mais, veja o site Doulas do Brasil.

O podcast (internet é um parto? chame a Doula!) avança falando sobre a nova realidade na internet. Com atividades colaborativas de freelas, softwares open source, módulos prontos, hardware e storage acessíveis e um bando de jovens profissionais competentes loucos para fazer acontecer, é cada vez mais fácil e barato botar um projeto na rua. Porém, nessa maluquice toda, falta uma voz que avalize, bote ordem no caos, saiba o que funciona ou não e traga uma visão de cliente/usuário.

Na minha limitada disponibilidade, tenho feito isso nos últimos anos. De uma forma ou de outra (mas principalmente em função de artigos publicados), aparecem jovens querendo ajuda e feedback sobre seus projetos. Sempre informalmente, dou atenção na medida do possível. Encaro isso como aconselhamento de startups e se virar negócio melhor ainda. Não sei se isso é uma coisa pessoal ou vem da cultura chinesa, mas gosto de ajudar no desenvolvimento das pessoas.

Depois percebi que essa atividade é similar a outra que também desenvolvo de forma ainda embrionária, a de mentor (Orientação e Desenvolvimento de Carreira para Jovens da Comunidade Chinesa). Há 3 ou 4 anos, comecei um trabalho com jovens chineses e descendentes no Brasil que visa ajudar no desenvolvimento de suas carreiras (da área que for). Ainda tenho muito a aprender, mas o que acumulei de conhecimento e experiência serve para alguém. Não digo a esses jovens o que devem fazer em situação X ou Y, apenas forneço subsídios para que possam refletir, tomar suas próprias decisões e seguir seus caminhos.

É um perfil que vejo para os edoulas propostos pelo Renê. Seja como um voluntário para orientar jovens ou profissionalmente para aconselhar empresas, o foco é ajudar no desenvolvimento de projetos e do mercado de internet como um todo.

Aliás, se você quer se tornar um edoula, sugiro fortemente que também se torne mentor de um profissional menos experiente (do setor que for) e peça a este que em algum momento da carreira também faça o mesmo, numa corrente do bem (detesto esse termo, mas é o que melhor descreve). E deixe seu nome, email e breve perfil profissional nos comentários abaixo para que interessados possam encontrá-lo. Quem sabe isso não vira um movimento organizado (com site listando os edoulas e tudo mais?). [atualização: vou montar um banco de dados. Interessado? Escreva-me.]

ps: fiquei tentado a listar e convocar alguns profissionais que conheço para atuar com jovens, mas é uma iniciativa de cada um. Porém, se você conhece alguém que pode ser seu edoula/mentor, não tenha receio de pedir.

A dura vida na escolha de um nome (Democratas=banda de rock?) abril 2, 2007

Posted by inhsieh in Marketing, Negócios.
add a comment

Escolher nome sempre foi dureza, muitos fatores devem entrar em cena, inclusive ser inédito (algo cada vez mais impossível).

Com o fortalecimento comercial da internet, mais um fator (crucial) entrou no check-list. Nem empresas nascidas no meio passam imunes, especialmente na questão do domínio (o endereço do site). O Google, por exemplo, não tem (In China, Google grapples with Gmail domain dispute) os domínios regionais do seu email gmail.cn (China) e gmail.de (Alemanha). No Brasil, a disputa mais conhecida foi (o caso aol.com.br) do domínio aol.com.br que internacionalmente pertence à América Online.

O fato dos mecanismos em busca serem baseados em texto é um outro ponto a considerar. Palavras genéricas que anteriormente eram consideradas boas para nomes de sites perdem-se no meio dos resultados do Google. Pegue um exemplo bem recente, o da mudança do nome do Partido da Frente Liberal PFL para Democratas. Assim mesmo, sem a palavra Partido. Faça uma comparação buscando no Google o antigo nome do grupo político versus o novo e veja o resultado. Vamos pegar só as duas primeiras páginas para não alongar demais. Buscando PFL, todos os resultados são referentes ao partido, já para Democratas aparecem 11 (55%) links referentes ao antigo PFL, 8 (40%) ao Partido Democrata dos EUA (inclusive com a primeira resposta) e 1 (5%) a uma banda de rock hardcore de mesmo nome.

3a. Semana de Empreendedorismo da FGV – Concurso de Business Plans MootCorp março 30, 2007

Posted by inhsieh in business plans, empreendedorismo, eventos.
add a comment

A última (grande) parte da 3a. Semana de Empreendedorismo da FGV foram as apresentações da etapa latino-americana do MootCorp, um tradicional concurso de planos de negócios da Universidade do Texas. O vencedor internacional leva US$ 100 mil.

As equipes participantes são formadas por alunos de pós-graduação (principalmente MBA) de faculdades brasileiras e estrangeiras. Na sequência na qual eu pude conversar/assistir (por falha minha, faltam 2 equipes – Colômbia e outra da BSP):

. RestauranteWeb (Business School São Paulo/SP): serviço online para pedidos de delivery de comida. Aparentemente, é único que apresenta uma empresa existente.

. CineDog (FAAP/SP): video baby-sitter para cachorros de pequeno e médio porte que ficam sozinhos em casa.

. Endoways (Argentina): equipamento para exploração abdominal em emergências.

. GreenEnergy (Ibmec/SP): fabricação de óleo vegetal a partir de pinho manso para produção de biocombustível.

. CleanFood (FGV/SP): serviço de irradiação para aumentar durabilidade de frutas para exportação.

. AttestUS (Ibmec/RJ): catálogo online b2b com avaliação de fornecedores pelos seus clientes sobre os serviços prestados Apesar do buzz em torno do assunto, dos 2 projetos de internet no evento, é único projeto que do ponto-de-vista de tecnologia tem funcionalidades web 2.0 (apesar de em nenhum momento mencionar a expressão). A equipe pretende lançar o serviço primeiramente nos EUA para então expandir mundo afora e já conta inclusive com 2 patentes registradas. Mais detalhes em breve.

. Accelerando (Politécnica da USP/SP): serviço de monitoramento de infra-estruturas. Das equipes que vi, parece a com melhor capacidade técnica.

Pude conversar com os integrantes de algumas das equipes e de forma geral, gostei bastante do nível dos projetos. Várias propostas vieram com forte embassamento técnico, fato que não costuma acontecer quando os competidores vêem de escolas de administração e negócios.

Postarei mais comentários e o resultado da competição assim que tiver em mãos. Acompanhe.

Mais sobre o evento:

. 3a. Semana de Empreendedorismo da FGV – Palestras Parte 2

. 3a. Semana de Empreendedorismo da FGV – Palestras Parte 1

3a. Semana de Empreendedorismo da FGV – Palestras Parte 2 março 30, 2007

Posted by inhsieh in empreendedorismo, eventos, franchising.
add a comment

[Continuação do post 3a. Semana de Empreendedorismo da FGV - Palestras Parte 1]

A outro palestra que assisti (parcialmente), Os Reis da Franquia, contou com Alberto Saraiva do Habib’s, Henrique Ribeiro do Fran’s Café e Sergio Milano da Nobel.

Na verdade, só consegui assistir integralmente à apresentação do Sergio Milano, ex-aluno da escola como ele mesmo falou. Aliás, Uma excelente apresentação.

Sergio é neto do fundador e assumiu a empresa depois de trabalhar em outras empresas, fazendo-a crescer de 4 lojas próprias para 180 lojas do que ele chama de Nobel Franchising Ventures, uma incubadora de franquias que ainda conta com outras marcas como Benedixt (design e decoração), Zastras Brinquedos, Vanilla Café, entre outras.

A idéia básica é que a Nobel Franchising, focada em estruturação e operação de franquias, associa-se a especialistas em segmentos para criar e gerenciar as marcas. Aliás, é a mesma estratégia seguida pela escola profissionalizante Microlins, que criou uma holding de franquias da qual também faz parte o Instituto Embelleze.

Consolidação acontecendo também no setor de franchising, fique ligado!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.